Notícias

Índices econômicos animam mercado de seguros

julho 7, 2016
Tempo de leitura 2 min

Fonte: CQCS

Após quedas históricas, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) de maio de 2016 já está maior do que o valor de maio de 2015. Um otimismo sem grandes exageros, mas baseado em análises concretas, e não apenas na esperança dos profissionais brasileiros. A previsão de queda do PIB para o ano de 2016 parou de piorar nos últimos meses, já sinalizando estabilidade nos números.

A informação é destaque da edição de junho da “Carta de Conjuntura do Setor de Seguros”, publicação assinada pelo Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo), e que traz um mapeamento mensal do mercado de seguros.

“O comportamento da economia tem influência direta no mercado de seguros, que sempre perde pela queda do PIB. É tradição do nosso setor registrar crescimento nos segundos semestres de cada ano, por conta de características de produtos contratados (por exemplo, seguro educacional, seguro viagem, ou os carros que são adquiridos no fim do ano) ”, analisa Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP.

“Hoje, a maior dúvida dos agentes do País é se, de fato, atingimos o ‘fundo de poço” e se, a partir daí as expectativas econômicas podem começar a ser revistas, com a melhora da situação no curto ou médio prazo. Enfim, não é uma reposta fácil, mas já podemos observar alguns sinais de que é condizente ter um pouco de esperança, sem exagerados otimismos”, comenta o presidente.

Nesse relatório de junho, os seguintes pontos positivos são destacados, em termos de, pelo menos, três indicadores econômicos:

Após quedas históricas, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) de maio de 2016 já está maior do que o valor de maio de 2015.

Há três meses consecutivos, segundo as estatísticas do Boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central, as previsões do valor do dólar ao final de 2016 têm caído.

A previsão de queda do PIB para o ano de 2016 parou de piorar nos últimos meses, já sinalizando estabilidade nos números. No mercado de seguros, a expectativa agora é que, a partir do segundo semestre do ano, haja também melhora, como é uma tradição nesse setor.

“Somando essa tradição à melhora da economia como um todo, a expectativa é que a partir do segundo semestre de 2016 retomemos de fato o crescimento desse setor pujante, substanciando-se ainda mais no próximo ano”, estima Alexandre Camillo.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário