Notícias

Fitch Afirma Rating Nacional de FFS ‘A-(bra)’ da Pottencial Seguradora S.A.; Perspectiva Estável

julho 6, 2016
Tempo de leitura 3 min

Fonte: Fitch Ratings

Fitch Ratings-Rio de Janeiro-05 July 2016: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Força Financeira de Seguradora (FFS) da Pottencial Seguradora S.A. (Pottencial) em ‘A-(bra)’ (A menos(bra)). A Perspectiva do rating permanece Estável.

Principais fundamentos do Rating

A afirmação do rating da Pottencial reflete seus bons indicadores de desempenho, a base de capital regulatória, a liquidez, sua maior consolidação no ramo de seguro-garantia, além da base de prêmios pulverizada, que lhe deixa relativamente menos exposta à ciclicalidade do setor e a grandes sinistros. Esta ação de rating também considera o aumento relevante dos índices de alavancagem.

A Pottencial continua apresentando forte crescimento dos prêmios emitidos em seguro-garantia. Até maio de 2016, os prêmios aumentaram 99% em comparação ao mesmo período no ano anterior (65% em 2015), o que levou ao aumento da participação de mercado para 16% (14% em 2015) e posicionou a companhia como a segunda maior seguradora do país neste ramo (terceira em 2015). A Pottencial continua a gerar a maioria dos prêmios por meio da plataforma online de sua corretora cativa.

A Pottencial mantém o foco em seguro-garantia (80% e 82% dos prêmios emitidos, em maio de 2016 e em 2015, respectivamente), apesar de sua atuação nos ramos de fiança locatícia e riscos de engenharia, e, a partir de 2015, no DPVAT (17% e 15%, em maio de 2016 e em 2015, respectivamente). Diferentemente da maioria das seguradoras de seguro-garantia, a Pottencial foca os negócios de varejo, o que se reflete na base de prêmios pulverizada. Até março de 2016, a importância segurada dos vinte maiores tomadores representava 29% do total (19% em março de 2015).

A base de capital regulatório da Pottencial permanece sólida, apesar do forte crescimento e dos altos pagamentos de dividendos (quase a totalidade do lucro líquido, em 2015 e 2014). Em 2015, o patrimônio liquido ajustado (PLA) da seguradora correspondia a altos 3,13 vezes do capital mínimo requerido (4,28 vezes em 2014). Porém, houve aumento relevante nos indicadores de alavancagem da companhia, e os passivos líquidos/patrimônio líquido (PL) e prêmios ganhos líquidos/PL se elevaram para 2,99 vezes e 0,87 vez, respectivamente (1,40 vez e 0,56 vez, em 2014, respectivamente). Parte deste aumento é explicada pela entrada da Pottencial no segmento DPVAT. Excluindo o DPVAT, estes índices ficariam em torno de 2,5 vezes e 0,5 vez, respectivamente, em 2015.

A Pottencial manteve bons indicadores de lucratividade até 2015, em decorrência dos sólidos resultados técnicos, evidenciados pelo índice combinado e operacional de 67% (51% em 2014) e 41% (21% em 2014), respectivamente, além do resultado financeiro relevante. Seu retorno sobre ativos médios (ROAA, 8,8% em 2015 e 13,1% em 2014) continua entre os melhores apresentados por seguradoras de nicho avaliadas pela Fitch na América Latina.

Em 2015, 68% da carteira de investimento estavam investidos em títulos públicos altamente líquidos, cujo risco de crédito é considerado relativamente baixo. O saldo estava aplicado em depósitos bancários e em letras financeiras emitidas por instituições financeiras. No mesmo período, os ativos na carteira de investimento corresponderam a alto 1,26 vez das provisões técnicas líquidas (1,71 vez em 2014).

A política de retenção da Pottencial continua conservadora, com um limite de retenção por risco em seguro-garantia equivalente a 4,2% do PLA. Seu programa de resseguros engloba uma sólida base de resseguradoras, cuja concentração tem sido diluída desde 2015.

Sensibilidades dos Ratings

Ação Positiva: O crescimento estável e a maior consolidação dos resultados, evidenciados pela manutenção sustentada dos indicadores financeiros nos patamares atuais, podem levar a uma ação de rating positiva.

Ação Negativa: A elevação contínua da alavancagem (passivos líquidos/PL e prêmios ganhos líquidos/PL acima de 3,9 vez e 2,0 vez, respectivamente), combinada a uma piora significativa da performance levando o ROAA abaixo de 2% por um período sustentado, além de um aumento significativo nos limites de retenção podem impulsionar uma ação de rating negativa.

 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário