Sem categoria

Guia sobre Seguro Riscos de Engenharia: entenda tudo sobre o assunto

abril 15, 2020
Tempo de leitura 17 min

O Seguro Riscos de Engenharia é a proteção que assegura ou, pelo menos, minimiza os riscos inerentes à realização de obras e projetos de construção. Embora pareça algo que deva ser elencado como um custo extra, no Brasil, a aquisição desse tipo de apólice é uma necessidade.

Estamos entre os países recordistas mundiais em acidentes de trabalho, conforme aponta o Observatório Digital de Saúde e Segurança e do Trabalho, ferramenta desenvolvida pelo Ministério Público do Trabalho e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Somos o quarto colocado nesse triste ranking, liderado pela China. De acordo com o Observatório, no Brasil, são mais de 2 mil mortes por ano em canteiros de obras, indústria e outros tipos de locais sujeitos a risco laboral.

Tendo em vista o enorme prejuízo, material e humano, causado por acidentes em projetos de engenharia, surge a demanda por proteção contra todo tipo de evento. Afinal, não são apenas os acidentes de trabalho envolvendo pessoas a representar riscos. Maquinário, equipamentos, atrasos e intempéries podem comprometer a saúde e segurança no trabalho, além de retardar o cumprimento de cronogramas, gerando prejuízos.

Sendo assim, este artigo tem como objetivo traçar um panorama completo sobre a modalidade de seguro que cobre sinistros no setor da construção civil. Avançando na leitura, você saberá de que forma esse tipo de seguro protege pessoas e patrimônio. Dessa forma, poderá expandir a oferta desse produto em seu portfólio, ampliando as possibilidades de negócios e gerando ainda mais valor para sua corretora e, claro, para seus segurados. Acompanhe!

O que é e como funciona o seguro contra riscos de engenharia?

Em linhas mais amplas, são elegíveis para contratar o Seguro Riscos de Engenharia, empreiteiras, construtoras, incorporadoras e proprietários de imóveis, desde que estejam em reforma ou construção.

Portanto, pode-se dizer que se trata de uma modalidade bastante abrangente, destinada a atender a um mercado que, no Brasil, parece dar sinais de recuperação, como mostra o último Índice de Confiança da Construção (ICST). Elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Índice funciona como uma espécie de termômetro do setor da construção civil que, quando em alta, sinaliza uma tendência de aumento nos investimentos.

Sendo assim, as perspectivas para o setor são boas, já que em janeiro de 2020 o ICST alcançou 94,2 pontos, atingindo a maior pontuação desde maio de 2014 (94,6). Diante desse panorama, o profissional que trabalhar com Seguro Riscos de Engenharia precisa de preparo e de muita informação sobre esse tipo de seguro. Como vimos, ele se destina, praticamente, a toda e qualquer empreitada que envolva reforma ou construção imobiliária.

Seu funcionamento, nesse aspecto, não difere do mecanismo que rege seguros como o residencial ou de automóveis. Ou seja, o Seguro Riscos de Engenharia se presta a cobrir eventuais sinistros que possam colocar em risco a vida ou a integridade física das pessoas. Além disso, pode ser acionado em casos como quebra de equipamentos, bem como ao garantir a instalação e montagem de máquinas.

Para quem é indicada essa modalidade de seguro?

Considerando as diversas possibilidades de cobertura, você poderá incorporar o Seguro Riscos de Engenharia ao seu portfólio para atender a demandas diversas. A cobertura contra acidentes e imprevistos em canteiros de obras, nesse sentido, é aquela que se destina a uma parcela mais extensa de empreitadas. Contudo, há muitos outros perfis a serem atendidos.

Por exemplo, a incidência de erros nos projetos de construção pode levar a atrasos e prejuízos de grande monta, já que exigem novos orçamentos e tempo para serem corrigidos. Sendo assim, esse é mais um caso em que o seguro voltado à construção civil é indicado, pois representará o aporte financeiro necessário para a elaboração de um novo projeto.

Além disso, você pode e deve ter em conta que obras são sempre sujeitas a imprevistos de naturezas diversas. Despesas extraordinárias são comuns em reformas ou projetos de engenharia e podem colocar em risco o cumprimento de um cronograma quando excedem o orçamento.

Podemos elencar, ainda, o sempre presente risco de paralisações de operários, vandalismo e de lockout, que é quando a obra é encerrada em represália a um movimento grevista.

O que dizer, ainda, da iminente ameaça que uma obra pode vir a representar para terceiros? O Seguro Riscos de Engenharia, tal como o seguro automotivo, pode também cobrir os envolvidos em acidentes, conforme os princípios de responsabilidade civil.

A propósito, essa responsabilidade se estende aos edifícios vizinhos a uma obra. Se porventura eles forem danificados em função da operação de máquinas e material de construção, poderão receber a devida compensação.

Como você já deve ter observado, são muitas as possibilidades de indicação para essa modalidade de seguro. O mais importante é que, como corretor, você saiba que ela serve para mitigar o impacto dos imprevistos e garantir o cumprimento de cronogramas.

Que tipos de bens o Seguro Riscos de Engenharia cobre?

Outro ponto que você, na condição de profissional de seguros, precisa considerar é que um canteiro de obras é um local em que equipamentos estão expostos a todo tipo de sinistro. Muitos deles não são facilmente repostos, em virtude de seu uso específico e, em alguns casos, da própria dificuldade em encontrá-los no mercado.

Um aspecto importante a ser destacado é que na construção civil é bastante comum o aluguel de equipamentos. Assim sendo, eventuais acidentes podem comprometer o prosseguimento da obra bem como gerar prejuízos aos fornecedores.

Portanto, o Seguro Riscos de Engenharia se presta ao ressarcimento em casos de avarias ou inutilização de equipamentos móveis e estacionários. Também se presta, naturalmente, a cobrir possíveis danos às instalações da obra, tanto as provisórias quanto as da própria estrutura erguida ou reparada.

Ainda, em conformidade aos já citados princípios de responsabilidade civil, podem ser cobertos também os bens de terceiros. Se a causa for uma falha ou negligência no decorrer de uma obra, podem ser cobertos os bens de pessoas físicas ou jurídicas externas.

Tipos de bens em relação à fase

Uma obra pode ser compreendida em duas etapas básicas: antes e durante o seu funcionamento. Assim sendo, os tipos de bens cobertos devem variar, dependendo da fase em que a empreitada se encontra.

Portanto, antes do funcionamento, há modalidades de seguro que cobrem:

  • Instalação e Montagem (IM);
  • Obras Civis em Construção, Instalação e Montagem (OSS/IM);
  • Obras Civis em Construção (OCC).

Já na fase em funcionamento, temos como modalidades:

  • Danos na Fabricação (Works Damage);
  • Equipamentos Eletrônicos (EE);
  • Quebra de Máquinas (QM).

Quais as vantagens de contratar esse tipo de seguro?

Vimos até agora que o setor de construção civil brasileiro é altamente exposto ao risco de acidentes de trabalho de toda a sorte. Também vimos que existe uma demanda crescente nesse segmento, como apontam os prognósticos do ICST.

Isso permite dizer que há uma forte tendência no mercado para o aumento na contratação do Seguro Riscos de Engenharia. Em virtude das diversas hipóteses de sinistros que acabamos de conhecer, é um seguro interessante para empreiteiras, construtoras e incorporadoras. A propósito, você sabe das diferenças entre cada uma?

Empreiteira é a empresa contratada para realizar parte de um projeto de construção. Já uma construtora é a que se encarrega da elaboração do projeto e sua entrega. Por fim, uma incorporadora tem como função cuidar do background da obra, ou seja, dos seus aspectos estratégicos e administrativos, como vendas e legalizações.

Para todos esses players, o Seguro Riscos de Engenharia representa muito mais segurança em termos financeiros e operacionais. Obras que “se arrastam” por muito tempo significam enormes prejuízos, em função da constante especulação imobiliária.

Um mês de atraso na inauguração de um edifício ou de um condomínio, portanto, pode equivaler a perdas milionárias para as empresas responsáveis pela execução dos projetos de construção.

Não menos importante, deve-se considerar os interesses das empresas. Um apartamento que deixa de ser entregue no prazo acordado pode até motivar uma ação judicial, o que representa ainda mais prejuízos para quem é do ramo.

Tipos de cobertura

Já que abordamos a título de comparação as apólices de seguro automotivo, vale resgatar o exemplo para dizer que as coberturas do Seguro Riscos de Engenharia são igualmente variadas.

Enquanto há quem contrate um seguro apenas para se proteger de roubos e furtos, há quem busque um seguro para a proteção de pessoas, de patrimônio ou de ambos. Veja, na sequência, quais são as modalidades de cobertura mais comuns para esse tipo de seguro.

Básica

Entre os sinistros que mais demandam a proteção de uma apólice, encontram-se aqueles ligados a fenômenos da natureza. Chuvas, alagamentos, tempestades e descargas elétricas causadas por raios podem afetar equipamentos ou mesmo destruir todo um canteiro de obras.

Esse é o tipo de cobertura básica em uma apólice de Seguro Riscos de Engenharia, na qual não apenas os fenômenos climáticos podem ser previstos, como também roubos, incêndios ou explosões. Até mesmo desmoronamentos podem ser cobertos por uma apólice básica, desde que não sejam motivados por falhas no projeto.

Especiais

A apólice pode ser também destinada a cobrir custos especiais cujo risco é maior ou menor, dependendo da obra e das decisões tomadas por seus gestores. Nesse sentido, podemos destacar como coberturas especiais:

  • incêndio pós-obra;
  • custos de limpeza e desentulho;
  • despesas de salvamento;
  • custos extraordinários (horas extras, reposição de máquinas e equipamentos etc.).

Adicionais

Por outro lado, e conforme já destacado nos tópicos anteriores, existem diversas maneiras de uma obra ser retardada ou de um sinistro se manifestar. Assim, dependendo do grau de exposição a riscos mais específicos, pode ser necessária uma cobertura adicional.

Boa parte delas também foram anteriormente relacionadas, mas vale recapitular. Ou seja, uma apólice com cobertura adicional pode proteger uma obra de:

  • greves;
  • lockouts;
  • erros de projeto;
  • responsabilidade civil cruzada;
  • responsabilidade civil do empregador.

Perceba que as coberturas especiais e adicionais, dependendo da corretora, podem ser incluídas em um mesmo pacote. De qualquer forma, ambas as categorias não entram na cobertura básica, restrita aos sinistros já elencados.

Quais as aplicações do Seguro contra Riscos de Engenharia?

Conhecer em detalhes as aplicações do Seguro Riscos de Engenharia é fundamental para um processo de vendas com altas taxas de sucesso. Quanto mais detalhes você tiver sobre o produto, menos objeções terá que superar e, dessa forma, maior será a sua satisfação dos seus clientes. Veja, na sequência.

Obras do setor imobiliário

Nesse tipo de apólice, o objeto segurado é a obra em construção civil. Ou seja, nos casos em que mais de 75% da empreitada utiliza os materiais de construção comuns a obras desse tipo, como concreto, instalações elétricas e hidráulicas, entre outras.

Trata-se de um tipo de seguro básico, em que a obra é protegida de danos causados por acidentes ao longo de toda a jornada de construção. Vale destacar que a proteção pode cobrir danos parciais ou totais.

Outra cobertura aplicável nesse tipo de Seguro contra Riscos de Engenharia envolve equipamentos e máquinas instaladas ao fim da obra. Ar-condicionado central, elevadores e até escadas rolantes são protegidos, contanto que o valor de todos, somado, represente até 25% do valor do seguro total. Por essas características, esta é uma aplicação mais abrangente, a menos que exceções estejam previstas em contrato.

Obras do setor de infraestrutura

Além da construção civil, podem ser cobertas por uma apólice do tipo riscos de engenharia as obras de infraestrutura, privadas ou públicas. Essa é uma modalidade que se aplica a obras como construção de estradas, rede de distribuição de energia elétrica e todas as que se destinem a prover infraestrutura básica.

Em geral, o mercado de seguros para esse tipo de obra costuma oferecer cobertura contra eventuais atrasos na realização dos serviços, garantindo o cumprimento do contrato.

Instalação de máquinas e equipamentos

Existe, ainda, uma terceira aplicação do Seguro Riscos de Engenharia. Trata-se do seguro voltado para proteger equipamentos e computadores em operação depois de uma obra concluída. A modalidade oferece cobertura contra danos que sejam causados no local onde estiverem instalados ou no ambiente externo, e direciona-se em especial a equipamentos de informática e eletrônicos.

Considerando o uso massivo de equipamentos desse tipo, em alguns casos até com a instalação de pesados servidores, vale a pena considerar a contratação de uma apólice com esse tipo de aplicação.

O seguro aplicável à instalação de máquinas e equipamentos é do tipo works damage, destacado anteriormente. Além disso, são protegidos de sinistros que representam lucros cessantes, tais como:

  • riscos operacionais (RO);
  • quebra de máquinas com interrupção de produção (QM/IP);
  • quebra de máquinas (LC/QM).

Entenda o que é cobertura de responsabilidade civil geral e cruzada

Você conheceu há alguns tópicos um pouco do princípio da responsabilidade civil envolvida em obras. De fato, uma construção não afeta somente o local onde se realiza. Toda a vizinhança e até quarteirões inteiros podem sentir os efeitos da instalação de um canteiro. Afinal, obras representam trânsito frequente de materiais, equipamentos, maquinário, veículos e, claro, de pessoas.

Todo esse movimento representa riscos patrimoniais e físicos que se estendem às pessoas que vivem ou circulam perto do local onde se realiza a obra. E, assim sendo, o Seguro Riscos de Engenharia precisa contemplar eventuais sinistros em que terceiros sejam envolvidos.

Portanto, a cobertura de responsabilidade civil geral e cruzada se destina a reembolsar despesas geradas por danos materiais e corporais causados a terceiros. Isso, claro, se forem decorrentes da execução da obra segurada e conforme os limites contratuais. Vale destacar que as pessoas e objetos segurados são definidos como partes independentes, ou seja, cada caso é um caso, não devendo haver prêmios coletivos.

Outro ponto importante é que a responsabilidade civil, nesse tipo de aplicação de seguro, não cobre lesões que levem ao óbito ou doenças que venham a ser contraídas por trabalhadores. Nesses casos, deve-se recorrer a outro tipo de cobertura. Aqui, trata-se de uma cobertura aplicável em casos de danos materiais durante a obra a indivíduos que não façam parte da empreitada.

É possível contratar o Seguro Riscos de Engenharia para equipamentos alugados?

O Seguro Riscos de Engenharia, como você já deve ter percebido, envolve uma ampla cobertura, extensível até mesmo a terceiros e em situações diversas. Com relação aos equipamentos, essa modalidade não poderia deixar de se ajustar a um tipo de situação recorrente em obras, que é o aluguel de máquinas, veículos e instrumentos.

Logo, o seguro também se destina a cobrir danos causados por imprevistos em equipamentos alugados, da mesma forma que os de propriedade do cliente. Fica assegurada proteção contra danos, perdas e avarias a todo tipo de máquina e ferramenta. De uma simples furadeira até um pesado compressor, qualquer material de trabalho alugado pode ser protegido.

Coberturas e diferenciais oferecidos pela Pottencial

Considere que um seguro é, invariavelmente, um tipo de serviço que requer grande capacidade por parte da seguradora contratada. Nesse aspecto, é importante observar o nível de experiência da empresa na modalidade voltada a obras, seja na construção civil ou de infraestrutura. A Pottencial Seguradora  conta com contratação simplificada para obras de grande porte: coberturas de Riscos de Engenharia e Responsabilidade Civil Obras em única apólice, além de emissão online com facilidades de parcelamento e a possibilidade de emissão de apólices com até 60 meses de vigência em obras com até 5 subsolos.

Cobertura básica

Destinada a obras civis, instalação e montagem, cobre os seguintes eventos:

  • danos decorrentes de erro de execução;
  • defeitos e inadequações de materiais;
  • danos inerentes à construção, instalação e montagem;
  • incêndio e explosão;
  • furto qualificado;
  • riscos da natureza (vendaval, inundação, raios, desmoronamento, terremoto, gelo, geada etc.).

Coberturas adicionais

Podem ser contratadas em regime complementar à cobertura básica e cobrem os custos abaixo:

  • despesas extraordinárias — para despesas com adicionais noturnos, trabalhos realizados nos fins de semana e feriados, quando há sinistro indenizável;
  • tumultos — danos materiais decorrentes de tumultos, greves e lockouts;
  • manutenção — cobre danos materiais ao objeto do seguro, ocorridos durante o período de manutenção;
  • despesas de desentulho — garante a indenização das despesas com desentulho, após a ocorrência de sinistro indenizável;
  • equipamentos móveis e estacionários — danos de causas externas aos equipamentos a serviço da construção e/ou instalação e montagem;
  • obras concluídas — cobre danos materiais causados a partes da obra quando finalizadas;
  • riscos do fabricante — cobre danos consequentes de erros de projeto e defeitos de materiais em instalação e montagem;
  • danos em consequência de erro do projeto — garantia para danos causados por erros de projetos em obras civis;
  • responsabilidade civil geral e cruzada — cobertura de danos materiais e corporais eventualmente causados a terceiros;
  • honorário de peritos — despesas com peritos contratados pelo segurado em função de sinistro coberto pela apólice;
  • propriedades circunvizinhas — cobre danos materiais a outros bens de propriedade do segurado ou bens de terceiros sob a sua guarda, custódia ou controle, que estejam no canteiro de obra;
  • salvamento e contenção de sinistros — verba reservada para situações de sinistro iminente e para salvaguarda e redução de perdas nos bens segurados.

Como contratar o Seguro Riscos de Engenharia da Pottencial?

A contratação de seguro para obras da construção civil ou de infraestrutura requer uma análise bastante cuidadosa. Considerando os custos de uma obra e os riscos envolvidos, os valores de uma apólice precisam ser definidos com muita precisão. Afinal, seria de pouca utilidade um seguro cujos prêmios não fossem suficientes para garantir a proteção que dele se espera, certo?

Por isso, o primeiro passo antes de contratar um Seguro Riscos de Engenharia com a Pottencial deve ser dado pelo cliente, que deve buscar um corretor. Portanto, é você, profissional de seguros, que deverá auxiliar na hora de fazer cotações, apontar procedimentos e fazer a coleta das informações necessárias.

A respeito desse último item, seu cliente deverá repassar dados como:

  • descrição total do projeto, em que devem constar especificações, esboços, plantas e cortes de terreno;
  • localização da obra;
  • estimativa de custo total do projeto;
  • cronograma de cada fase e duração total do projeto;
  • etapas da construção.

Então, sente-se mais preparado para oferecer as vantagens do Seguro Riscos de Engenharia para seus próximos clientes? Você viu, neste artigo, que são muitos fatores a se considerar, tipos de aplicações distintas e coberturas variadas. Portanto, o ideal é que você esteja sempre cercado de muita informação e que se mantenha atualizado a respeito do mercado segurador. Assim, seus resultados serão muito superiores. Faça bons negócios!

E se ainda restou alguma dúvida, deixe um comentário e teremos satisfação em responder!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up