Notícias

Exclusivo: Pottencial Seguradora vê oportunidade em seguro judicial e locatício

agosto 4, 2015
Tempo de leitura 5 min

Fonte: AE News

A seguradora mineira Pottencial, terceira maior do País em seguro garantia, vê oportunidades em aumentar a carteira de clientes, principalmente nas modalidades de seguro judicial e locatício (fiança). Em entrevista ao Broadcast, o presidente da companhia, João Géo Neto, disse que, pela primeira vez em dez anos, o faturamento do mercado nacional de seguros não crescerá dois dígitos porcentuais neste ano, reflexo da retração da economia e da crise de confiança, mas o ambiente de crise traz espaço de crescimento em alguns segmentos.

Segundo ele, no caso do seguro judicial ajuda a aprovação, em novembro, do projeto de lei 13.043. A lei equipara o seguro garantia judicial à caução em dinheiro nos processos de execução fiscal. “O projeto permitirá o aumento de clientes nesse segmento, que já têm crescido muito. Nós já temos, por exemplo, um modelo de apólice para cada Estado para atender a cada uma das portarias específicas de cada unidade federativa que tratam o tema”, explicou.

Em seguro locatício, Géo Neto vê potencial de crescimento, já que, hoje, o mercado é dominado pela Porto Seguro. “A Porto Seguro fez um bom trabalho nesse segmento. Entretanto, há bastante espaço para outros players. Além disso, o seguro fiança locatício passa uma tranquilidade maior para quem está recebendo do que o aval de um terceiro, ainda mais nesse cenário de dificuldade”, declarou.

Em movimento contrário, o presidente da Pottencial citou a queda de demanda para o seguro garantia de performance. “[A procura] caiu muito nos últimos seis meses, acompanhando o ritmo da economia. O governo não investe mais em infraestrutura e desenvolvimento e essa demanda está muito aquém do que deveria estar se compararmos com uns dois anos atrás. Mas, ao mesmo tempo, tem empresas que ganharam concessões e a demanda desse mercado tem crescido um pouco”, explicou. O executivo se mostrou cauteloso com o novo pacote de concessões anunciado recentemente pelo governo e não vê uma reação no curto prazo desse setor.

Além de atuar no seguro garantia e fiança locatícia, a Pottencial trabalha com riscos de engenharia, desde 2014, e DPVAT, neste ano, mas sem a comercialização deste último. “Vamos começar devagar com riscos de engenharia. Não queremos atuar em grandes obras, de valores maiores”, afirmou. Em 2014, a Pottencial reportou incremento dos prêmios emitidos em seguro garantia de 51% (ante 97% em 2013), aumentando sua participação de mercado de 8% para 10%. Do total dos prêmios emitidos em 2014, 96% foram de seguro garantia, com foco no varejo, o que proporciona uma base de prêmios pulverizada. Até março de 2015, a importância segurada dos 20 maiores tomadores representava 19% do total.

“Tanto em seguro garantia quanto em risco de engenharia trabalhamos com resseguradoras. Elas são 10 (cinco locais e cinco não locais), como o IRB, e estão entre as 20 maiores do mundo”, explicou. A política de retenção da Pottencial estipula um limite em seguro garantia equivalente a 4,2% do patrimônio líquido ajustado (PLA), nível similar ao dos pares locais e considerado conservador.

Em dezembro de 2014, 75% da carteira de investimento da Pottencial estava investida em títulos públicos altamente líquidos, cujo risco de crédito é classificado como baixo. O restante estava aplicado em depósitos bancários e letras financeiras emitidas por instituições financeiras.

Rating elevado

No último dia 8, a Fitch Rating elevou o rating nacional de Força Financeira de Seguradora (FFS) da Pottencial de ‘BBB+(bra)’ para ‘A-(bra)’, a terceira maior nota na escala da agência de classificação de risco e também o terceiro rating divulgado pela Fitch da seguradora (o primeiro foi em 2013). A perspectiva é estável.

Conforme a agência, a decisão refletiu a maior consolidação dos resultados e a manutenção de bons indicadores de desempenho, capitalização e liquidez. “Esta ação de rating também considera a manutenção da base de prêmios pulverizada, que torna a seguradora relativamente menos exposta à ciclicidade do setor e a grandes sinistros, características do mercado de seguro garantia”, disse a Fitch, no comunicado.

De acordo com a Fitch, o patrimônio líquido ajustado (PLA) da Pottencial em 2014 era de 4,28 vezes o capital mínimo requerido. Os múltiplos provenientes da relação passivos líquidos e patrimônio líquido (PL) e da relação prêmios ganhos líquidos e PL ficaram em 1,4 vez e 0,56 vez respectivamente, ao final de 2014. “A Fitch espera que a alavancagem aumente, à medida que os prêmios cresçam e uma vez que o pagamento de dividendos deve permanecer alto (107% do lucro líquido em 2014), porém acredita que permanecerá adequada para o atual rating da companhia”, destacou a agência.

Ao contrário do movimento recente de mercado, a empresa não tem interesse em abrir capital. Entre os acionistas estão a família Mattar, sócia-fundadora da locadora mineira de veículos Localiza. “Além dos recursos provenientes dos acionistas, a Pottencial também tem se capitalizado. Nossa situação financeira está bem confortável”, declarou Géo Neto, que é da segunda geração dos fundadores da Pottencial.

“Queremos expandir organicamente. Estamos investindo na abertura de um canal para atender melhor aos corretores nas capitais e grande Rio de Janeiro e São Paulo, que hoje já representam 60% do mercado no qual atuamos”, informou.

O executivo ainda mantém a expectativa de que o governo federal aumente o porcentual exigido nas garantias. “No regime diferenciado de contratação, por exemplo, a exigência é de até 30%. E porque não 100%, como em países evoluídos? Seria uma forma de diminuir o próprio risco para o governo, seria mais seguro”, questionou.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário