Notícias

Fitch Afirma Rating Nacional de FFS ‘A-(bra)’ da Pottencial Seguradora;Perspectiva Estável

julho 6, 2017
Tempo de leitura 4 min

Fonte: Fitch Ratings

Fitch Ratings Rio de Janeiro, 5 de julho de 2017: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Força Financeira de Seguradora (FFS) ‘A-(bra)’ (A menos (bra)) da Pottencial Seguradora S.A. (Pottencial). A Perspectiva do rating permanece Estável.

PRINCIPAIS FUNDAMENTOS DO RATING

A afirmação do rating da Pottencial reflete a manutenção de bons indicadores de desempenho, capital regulatório e liquidez, além de uma base de prêmios pulverizada e da relevante posição no ramo de seguro garantia.

A afirmação também considerou a continuação do aumento da alavancagem da companhia.

A Pottencial é a segunda maior seguradora, em termos de prêmios emitidos, do altamente competitivo nicho de seguro garantia. Em abril de 2017, detinha 13% de participação no segmento (segunda e terceira, em 2016 e 2015, respectivamente, com participação de 14% em ambos anos).

A Pottencial mantém o foco em seguro garantia (85% dos prêmios emitidos em 2016 e 82% em 2015), apesar da atuação nos ramos de fiança locatícia, riscos de engenharia, Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) e, a partir de 2017, de aviação e riscos diversos. Diferente da maioria das empresas de seguro garantia, a Pottencial foca negócios de varejo, o que se reflete na pulverizada base de prêmios. Até 2016, a importância segurada dos vinte maiores tomadores representava 32% do total (29% em 2015).

A base de capital regulatório da Pottencial permanece sólida, apesar do forte crescimento dos prêmios (156% por ano em 2014 2016) e dos altos pagamentos de dividendos (média de 97% em 20142016). Em 2016, o patrimônio líquido ajustado (PLA) da seguradora correspondia a altas 2,36 vezes o capital mínimo requerido (3,13 vezes em 2015). Porém, a alavancagem continuou aumentando, e o índice prêmios emitidos retidos/PL se elevou para 1,7 vez em 2016 (1,5 vez e 0,9 vez, em 2015 e 2014, respectivamente). Parte deste aumento é explicada pela entrada da Pottencial no segmento DPVAT em 2015. O atual patamar de alavancagem está adequado para o rating da seguradora, porém o aumento contínuo poderá pressionar o rating no futuro.

O retorno sobre ativos médios (ROAA) da Pottencial (7,8% e 8,8%, em 2016 e 2015, respectivamente) permanece um dos melhores entre as seguradoras de nicho avaliadas pela Fitch na América Latina. A forte lucratividade se deve aos sólidos resultados técnicos, evidenciados pelos índices combinado de 61% (67% em 2015) e operacional de 31% (41% em 2015), além dos bons resultados financeiros. A Fitch espera que os resultados financeiros continuem beneficiando os resultados da seguradora, apesar da queda esperada, alinhada ao contínuo do ciclo de corte das taxas de juros iniciado em outubro de 2016.

Em 2016, 76% da carteira de investimento (incluindo as quotas de fundos de investimento do DPVAT) estavam investidos em títulos públicos altamente líquidos. O saldo estava aplicado em depósitos bancários e letras financeiras emitidas por instituições financeiras. Todos os títulos da carteira da Pottencial são pós fixados, o que deixa o resultado financeiro exposto a oscilações de taxas de juros. No mesmo período, os ativos de investimento correspondiam a adequada 1,05 vez as provisões técnicas líquidas (1,26 vez em 2015).

A política de retenção da Pottencial continua conservadora, com limite de retenção por risco em seguro garantia e fiança locatícia equivalente a 4,4% do PLA, enquanto no ramo de risco de engenharia o limite corresponde a apenas 0,5% do PLA. No caso dos ramos de aviação e riscos diversos, em quais a Pottencial passou a operar em 2017, o limite de retenção é de 0,6% e 0,2%, respectivamente. A seguradora não planeja aumentar seus limites de retenção. Seu programa de resseguros engloba uma sólida base de resseguradoras, cuja concentração tem sido diluída gradualmente, mas continua relativamente alta: as três principais resseguradoras respondem por 57% dos prêmios cedidos (75% no ano anterior).

SENSIBILIDADES DOS RATINGS

Ação Positiva: O crescimento estável e a maior consolidação dos resultados, evidenciados pela manutenção sustentada dos indicadores financeiros nos patamares atuais, podem levar a uma ação de rating positiva.

Ação Negativa: A contínua elevação da alavancagem (prêmios emitidos retidos/PL acima de 2,2 vezes), combinada a uma significativa piora da performance, levando o ROAA para abaixo de 2% por um período sustentado, além de um aumento significativo nos limites de retenção, pode impulsionar uma ação de rating negativa.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário